Notícias

Workshop Cantar Mais - AE de Gavião

Cantar Mais


Workshop Cantar Mais

1h30

por

Ana Venade

Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, 250, 610 e todos os interessados

Duração: 1h30.

Horário:

Sessão
15 de Fevereiro (sábado) das 16:30 às 18:00 1h30


Local: Escola Básica de Gavião - Sede do Agrupamento

Workshop Cantar Mais - Conservatório de Música de Olhão

Cantar Mais


Workshop Cantar Mais

1h30

por

Paulo Cunha

Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, 250, 610 e todos os interessados

Duração: 3 horas.

Horário:

Sessão
7 de Fevereiro (sábado) das 18:00 às 19:30 1h30


Local: Conservatório de Música de Olhão - Olhão

ESGOTADO

Interdisciplinaridade | Projetos e Desafios

Interdisciplinaridade | Projetos e Desafios


Ação de Formação de Curta Duração

6h

Destinatários: Professores dos 1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Música, Educação Visual e Educação Tecnológica.

Duração: 6 horas.


Local: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa - Clique aqui para consultar a morada.

O projeto Autonomia e Flexibilidade Curricular oferece às escolas, professores e alunos uma brecha num sistema escolar que se tem vindo a fechar, a padronizar e a imobilizar em torno de objetivos que parece se terem reduzido aos resultados mensuráveis dos exames e às práticas que os alimentam.

Este projeto não muda este sistema mas possibilita uma abertura que force uma mudança mais significativa na Escola e nos objetivos educativos, coerentes com o Perfil dos Alunos à saída da Escolaridade Obrigatória e que para ele contribuam.

O desafio da interdisciplinaridade convida-nos a olhar para as aprendizagens dos nossos alunos de uma forma mais integrada — como a própria vida e o modo como dela nos tornamos protagonistas — dando passos no sentido de ultrapassar currículos demasiado espartilhados, prescritivos, receituários de soluções desajustadas à construção do saber e do saber fazer. Convida-nos também a olhar para a nossa prática e para a nossa “disciplina” de uma forma menos autossuficiente, isolada, sequencial, mais humilde e mais relacional. Por isso mais exigente para professores e alunos.

Na sequência do trabalho a que as diversas associações profissionais foram convidadas no âmbito deste projeto, a APEM, a APEVT, a APM e a APP, em colaboração com o IE-UL, propuseram-se realizar um encontro sobre a temática da interdisciplinaridade centrada em projetos, experiências e propostas, dirigido aos professores do 1.º ciclo e do 2.º ciclo do ensino básico nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Música, Educação Visual e Educação Tecnológica.

Neste Encontro pretende-se, da análise das conferências com temáticas enquadradoras e com o testemunho da experiência vivida pelos professores no seu quotidiano escolar, alcançar, entre outros, os seguintes objetivos:

  • valorizar a gestão da articulação horizontal do currículo e a mobilização do conhecimento;
  • promover o trabalho interdisciplinar como dinâmica centrada no papel dos alunos enquanto autores;
  • fortalecer o espírito de grupo, a capacidade para interagir socialmente e para praticar a interdisciplinaridade.

O encontro é gratuito, mas de inscrição obrigatória, para sócios com quotas atualizadas das associações promotoras deste encontro (APEM; APEVT; APM e APP).

Valor da inscrição para não sócios - 20€.

(inscrições limitadas)


Interdisciplinaridade | Projetos e Desafios

Cantar Mais nas Jornadas Pedagógicas do SPGL

Cantar Mais


Ação de Formação de Curta Duração

6h

Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, 250, 610, AEC - Música e todos os interessados.

Duração: 6 horas.

Horário:

Sessão
20 e 27 de fevereiro (terças-feiras) das 16:30 às 19:30 6h


Local: Sindicato dos Professores da Grande Lisboa - Rua Fialho de Almeida, Nº 3 – 1070-128 Lisboa - Podem ser obtidas informações pelo telefone: 213819177 ou utilizando para esse efeito o email: drlisboa@spgl.pt

Resultados: Provas de Aferição em Educação Musical - A sua opinião

No 1º período letivo de 2017/2018, de outubro ao final de dezembro disponibilizámos um inquérito on line no site da APEM sobre as Provas de Aferição em Educação Musical no 5º ano de escolaridade que se realizam pela primeira vez em Portugal em maio de 2018. Quisemos saber a opinião dos professores de música e outros interessados na temática.

Eis os resultados.

Dados quantitativos:

Professor de que nível de ensino?
Nível de ensino?
Concorda com as Provas de Aferição em Música no 5º ano de escolaridade?
Concorda com as provas de aferição em Música no 5º ano de escolaridade?

Dos 156 docentes que responderam ao questionário, 59% não concorda com a realização das provas de aferição no 5º ano, e 41% concorda. Aqueles que estão de acordo, estão pois em minoria.

A análise dos dados, que passou por um processo de coding e categorização das respostas, revela que esta opção está relacionada essencialmente com dois pontos: por um lado os respondentes afirmam que a aplicação da prova poderá vir a implicar uma crescente valorização da disciplina no currículo, e por outro, afirmam que ela poderá ter consequências que serão fundamentais para o desenvolvimento e fortalecimento da área de Educação Musical em todo o ensino geral.

De facto, os participantes que reponderam “sim” a esta questão, ressaltam que o valor de uma avaliação como esta está exatamente na possibilidade que nos traz para repensar e agir no sentido de melhorar o estado da Educação Musical no nosso país, nomeadamente ao nível do 1º Ciclo, onde ela é tantas vezes deficitária, porque é, na maioria das escolas, remetida, exclusivamente, para as Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), e também no 3º Ciclo onde é quase inexistente.

Do lado daqueles que não concordam com a implementação das provas de aferição no 5º ano, e que constituem a maioria, as razões apontadas dispersam-se um pouco mais, mas encontram-se padrões similares que gravitam à volta de quatro categorias essenciais:

  1. falta de clareza no propósito, forma e conteúdos da prova;
  2. enorme disparidade quanto às capacidades e conhecimentos musicais dos alunos que frequentam o 5º ano; esta categoria surge no decorrer do que já foi dito relativamente às diferenças entre os modos como é lecionada a Educação Musical no 1º ciclo. No sentido daquilo que tem sido amplamente discutido, também os professores que responderam a este questionário enfatizam que as aprendizagens musicais no 1º ciclo são muitíssimo díspares, uma vez que aquilo que os professores são capazes de fazer em sala de aula no que à música diz respeito, depende muito mais dos seus percursos pessoais, do que formativos, que são não raras vezes, insuficientes para que os docentes se sintam à vontade para planificarem e implementarem atividade de música, relegando esta responsabilidade para as AEC. Talvez seja por isso mesmo que um número significativo de respondentes reintroduz a possibilidade de o ensino da música no 1º ciclo ser coadjuvado por especialistas;
  3. receio que a prova torne uma disciplina prática, que vive essencialmente do ouvir e fazer música, em algo teórico, abstrato, passível de ser avaliado através do lápis e do papel, o que inverteria o sentido de tudo aquilo que se tem defendido quer ao nível teórico, quer ao nível prático sobre o que devem ser os fundamentos de uma boa Educação Musical, e afastaria ainda mais esta disciplina das vidas das crianças e jovens que frequentam as nossas escolas;
  4. finalmente, e ainda de forma muito relacionada com este aspeto, os professores temem que, a partir da introdução das provas o ensino seja demasiadamente direcionado para estas, com risco de se perder o lado mais criativo e exploratório de uma disciplina artística.

Acima de tudo, em todas as respostas, quer naquelas em que os professores concordam com a introdução da prova, quer nas que não concordam, evidencia-se uma clara preocupação dos professores com as aprendizagens musicais dos seus alunos e com as formas como estas podem contribuir para o pleno crescimento de cada criança e jovem.

É neste sentido, que nos parece essencial continuar a discussão desta e de outras questões relacionadas com o lugar da música no ensino formal, para que possamos percorrer um caminho que nos leve a uma Educação Musical de maior qualidade e que cumpra os pilares bases da justiça democrática e social.

Mostrar mais

Notícias em destaque

Workshop Cantar Mais - AE de Gavião
Workshop Cantar Mais 1h30 por Ana Venade Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, ...
Workshop Cantar Mais - Conservatório de Música de Olhão
Workshop Cantar Mais 1h30 por Paulo Cunha Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, ...
Interdisciplinaridade | Projetos e Desafios
Ação de Formação de Curta Duração 6h Destinatários: Professores dos 1.º e 2.º Ciclo ...
Cantar Mais nas Jornadas Pedagógicas do SPGL
Ação de Formação de Curta Duração 6h Destinatários: Professores dos Grupos 100, 110, ...
Resultados: Provas de Aferição em Educação Musical - A sua opinião
No 1º período letivo de 2017/2018, de outubro ao final de dezembro disponibilizámos um inquérito ...

A APEM

A Associação Portuguesa de Educação Musical, APEM, é uma associação de caráter cultural e profissional, sem fins lucrativos e com estatuto de utilidade pública, que tem por objetivo o desenvolvimento e aperfeiçoamento da educação musical, quer como parte integrante da formação humana e da vida social, quer como uma componente essencial na formação musical especializada.

A APEM é filiada na ISME - Internacional Society for Music Education como INA - ISME National Affiliate

Cantar Mais

Cantar Mais – Mundos com voz é um projeto da Associação Portuguesa de Educação Musical (APEM) que assenta na disponibilização de um repertório diversificado de canções (tradicionais portuguesas, de música antiga, de países de língua oficial portuguesa, de autor, do mundo, fado, cante e teatro musical/ciclo de canções) com arranjos e orquestrações originais apoiadas por recursos pedagógicos multimédia e tutoriais de formação.

Saiba mais em:
http://www.cantarmais.pt/pt

Newsletter da APEM

Caros sócios, A APEMNewsletter de dezembro acaba de ser publicada e encontra-se disponível para visualização no site da APEM.
Clique na imagem em cima para ter acesso à mesma.

Apoios:

 República Portuguesa
Fundação Calouste Gulbenkian

Contactos:

apem associação portuguesa de educação musical

Praça António Baião 5B Loja
1500 – 712 Benfica - Lisboa

  21 778 06 29

  91 759 250 4/ 936 756 246

 Envie-nos um email

© 2016 Associação Portuguesa de Educação Musical