Newsletter da APEM

APEMNewsletter - Junho/Julho de 2017

APEMNewsletter de junho/julho de 2017

Editorial

Nós por cá

  • Feito e dito - CONFERÊNCIA MARTIN FAUTLEY
  • Amarante, cidade criativa: uma candidatura apoiada pela APEM
  • IV JORNADAS PEDAGÓGICAS
  • ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA
  • CEK-Portugal – Centro de Educação Kodaly
  • Perfil dos Alunos à saída da escolaridade obrigatória
  • Aprendizagens essenciais
  • CFAPEM - Plano de formação para o 1º trimestre de 2017/2018
  • ISME
  • 4º Concurso de Composição de Canções para Crianças

Cantar Mais

  • Novidades de junho e julho
  • Mais workshops Cantar Mais
  • Gravações
  • Concertos Cantar Mais - Lés a Lés // Musicentro

De A a Z

para a Música na Educação por...Madalena Wallenstein

Última


Consulte esta newsletter

Editorial - APEMNewsletter - Junho/Julho de 2017

Editorial da APEM Newsletter - Junho/Julho

Tempo de balanços: as aprendizagens essenciais em Música

Chegados ao fim de mais um ano letivo, fazemos os balanços do que se fez e procuramos que as nossas reflexões sirvam para melhorar, criar e recriar os caminhos que queremos, devemos e podemos percorrer como associação. Foram vários os espaços onde a APEM participou(1), ouviu e se fez ouvir e vários também os planos de interseção de diferentes perspetivas educacionais que se foram tornando mais claras nas diversas instâncias onde estivemos. Sabemos que nem sempre nos revemos, parcialmente ou mesmo totalmente, nas posições finais que surgem, fruto de múltiplas reflexões e compromissos ao longo do tempo.

Nesta nossa última Newsletter deste ano letivo, damos destaque ao trabalho que realizámos sobre a definição das aprendizagens essenciais em Música na escolaridade obrigatória da educação geral e ao processo de reflexão, construção e reconstrução deste documento curricular.

O currículo da música é comummente entendido como um documento. Mas que conceito de currículo e aprendizagens essenciais em Música estão refletidos e incorporados? Cooke e Spruce(2016)(2) sistematizam três abordagens ao conceito de currículo de música, questionando sobre os propósitos, ideologias e valores que sustentam essas conceções; a conceção de currículo como objeto, currículo como experiência vivida e o currículo emergente. Enquanto o currículo como objeto, ou seja, o currículo como conteúdo ou produto, apresenta o conhecimento que deve ser ensinado e aprendido ou os objetivos de aprendizagem, numa conceção de currículo como experiência vivida, a compreensão de como as crianças e jovens pensam e se expressam sobre as suas experiências musicais é fundamental. A ideia central é o papel ativo que as crianças e jovens devem ter nos processos de ensino e aprendizagem e o reconhecimento pelos próprios do seu papel e da influência que têm e que deliberadamente o professor promove. A conceção de currículo emergente identifica-se com a conceção anterior, mas vai mais além. Neste quadro, as crianças e jovens envolvem-se em interações musicais e verbais que lhes permitem desenvolver e construir os seus próprios significados e aprendizagens. Para facilitar esse processo, os professores de música devem permitir que os alunos tenham tempo para chegarem às suas próprias conclusões, entendimentos, compreensões e sentidos. Um currículo emergente desafia os professores a serem mais abertos aos imprevistos, tanto musicais como não musicais, implica uma ação reflexiva crítica antes, depois e durante a própria ação educativa, permitindo aos alunos a liderança de processos, ou a seguirem o professor ou ainda a seguirem juntos, professor e alunos, em novos caminhos e aprendizagens.

Na construção do documento curricular e no caso específico do nosso trabalho de identificação das aprendizagens essenciais em Música ao longo da escolaridade obrigatória, tivemos em consideração que o currículo de música é um fenómeno dinâmico, emergente das interações musicais de professores, alunos e comunidades nos seus contextos específicos. Esta visão de currículo de música implica que o professor esteja atento ao que acontece a cada momento para melhorar a autonomia dos alunos na construção das suas próprias atividades artísticas e musicais que vivem na sala de aula e fora dela, tornando-as parte integrante da sua vida musical. Para que a participação e o envolvimento dos alunos seja uma realidade, o seu papel ativo como co-construtores do currículo, das situações de aprendizagem e na avaliação dos processos individuais e de grupo é fundamental.

A opção que considerámos adequada para a formulação de aprendizagens musicais essenciais foi a de competências, entendidas como combinações de conhecimentos, capacidades e atitudes, organizadas em três dimensões que refletem a experimentação, a interpretação (no sentido de performance) e a compreensão das situações musicais que se desenvolvem. É nesta perspetiva que entendemos a Música no currículo da escolaridade obrigatória, sendo, no entanto, ainda necessário, continuar a pressionar, a defender e a lutar para que ela exista, por direito próprio, para todas as crianças e jovens que frequentam as escolas públicas portuguesas, em todos os ciclos educativos. (1)Instituto de Avaliação Educativa; Conselho Nacional de Educação; Grupo de Trabalho-Perfil do Aluno; Grupo de Trabalho-Aprendizagens Essenciais. (2)Cooke, Carolyn; Spruce, Gary (2016) What is music curriculum? In Learning to Teach Music in the Secondary School. (pp 63-79) Ed. Carolyn Cook, Keith Evans, Chris Philpott and Gary Spruce. London: Routledge. 3ªEdição

Manuela Encarnação

Consulte esta newsletter

Mostrar Mais

A APEM

A Associação Portuguesa de Educação Musical, APEM, é uma associação de caráter cultural e profissional, sem fins lucrativos e com estatuto de utilidade pública, que tem por objetivo o desenvolvimento e aperfeiçoamento da educação musical, quer como parte integrante da formação humana e da vida social, quer como uma componente essencial na formação musical especializada.

A APEM é filiada na ISME - Internacional Society for Music Education como INA - ISME National Affiliate

Cantar Mais

Cantar Mais – Mundos com voz é um projeto da Associação Portuguesa de Educação Musical (APEM) que assenta na disponibilização de um repertório diversificado de canções (tradicionais portuguesas, de música antiga, de países de língua oficial portuguesa, de autor, do mundo, fado, cante e teatro musical/ciclo de canções) com arranjos e orquestrações originais apoiadas por recursos pedagógicos multimédia e tutoriais de formação.

Saiba mais em:
http://www.cantarmais.pt

Newsletter da APEM

Caros sócios, A APEMNewsletter de junho/julho acaba de ser publicada e encontra-se disponível para visualização no site da APEM.
Clique na imagem em cima para ter acesso à mesma.

Apoios:

 República Portuguesa
Fundação Calouste Gulbenkian

Contactos:

Morada
Praça António Baião 5B Loja
1500 – 712 Benfica - Lisboa
tel.: 21 778 06 29/ tm. 91 759 250 4/ 936 756 246

© 2016 Associação Portuguesa de Educação Musical